Economia Circular - Upcycling na Criação e Desenvolvimentos de Produtos



Upcycling – criatividade, sustentabilidade e visão empreendedora


A partilha de hoje sobre Economia Circular, Desenvolvimento Sustentável e Impacto Social. Nesse contexto vamos trazer o conceito de Upcycling, que chega para ressignificar experiências, criar oportunidades e promover a sustentabilidade do próprio negócio e do mundo.


Então, vamos começar falando de Desenvolvimento Sustentável.


Em geral, as pessoas estão acostumadas a entender Sustentabilidade como algo que remeta, simplesmente, ao meio ambiente. No entanto, a “Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável” estão aí para provar que o conceito vai muito além.


Trata-se de um pacto construído colaborativamente pela ONU - Organização das Nações Unidas e demonstra que a sustentabilidade se impulsiona na integração do crescimento econômico, da justiça social, além da preservação ambiental – em prol das pessoas, do planeta, do fortalecimento de parceria para fortalecer a prosperidade e paz universal.


Para esse diálogo vamos focar em alguns dos propósitos elencados nesse plano mundial:


· Consumo e produção responsáveis;

· Trabalho decente e crescimento econômico;

· Indústria, Inovação e Infraestrutura.


Um caminho para o alcance dessas metas perpassa pela mudança de postura quanto à tríade - extração, consumo e descarte.


A Globalização e o crescimento massivo da população trouxeram aspectos positivos, mas também consequências negativas por agir em maior escala através de um processo linear e contínuo da indústria, na qual a extração de recursos naturais é feita sem preocupação com sua futura escassez; o processo de produção é massiva e, consequentemente, há o fomento do consumo desenfreado e o rápido descarte para atender essa oferta.


Mas, para onde vai todo “rejeito”?


As consequências ambientais e sociais já apresentam resultados catastróficos. A Economia Circular chega para apresentar um contraponto a esse exagero, desperdício e ótica imediatista.


O que é Economia Circular?


O termo, por si, agrega a ideia de processo cíclico, de repensar nossas ações, de reutilizar, reduzir e ressignificar atitudes, produtos, serviços e processos em benefício sustentável ao planeta e aos cidadãos.


“Esse modelo circular propõe repensar e redesenhar a forma como produzimos e como consumimos, onde tudo possa ser recuperado e reutilizado, como acontece nos ciclos biológicos. Essa ampliação do ciclo de vida faz com que haja tanto uma diminuição de descartes prematuros como uma diminuição do uso de matéria-prima retirada do meio ambiente”, desenvolve Dani Gábriél, fundadora da Dume.


Para agregar ainda mais conhecimento e visão empreendedora a esse diálogo, vamos trazer a história da Solange Souza e sua marca de ecomoda Umbrella Cycling – que, adotando o conceito de Upcycling, transforma tecido de guarda-chuva em roupas e acessórios com muita personalidade.


Mas, afinal, o que é Upcycling?


O termo vem do verbo em inglês “reutilizar” e se potencializa na criatividade de transformar objetos ou materiais que já perderam sua vida útil em um novo produto. É mais do que reciclar, pois envolve ressignificar de modo a desenvolver algo de maior qualidade ou valor que aquele original que seria descartado. Por isso a ideia somada de “up”, para cima.


Seguindo em sintonia com desdobramentos das ODS, o upcycling pode ser encarado como caminho para criação e desenvolvimento de produtos. Artigos que se preocupa em “assegurar padrões de produção e de consumo sustentáveis”.


Assim como uma oportunidade de empreendedorismo pautado em “promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, o emprego pleno e produtivo e o trabalho decente para todos”.


Por fim, “construir infraestruturas resilientes, promover a industrialização inclusiva e sustentável e fomentar a inovação”.


“Esse novo olhar que a economia circular propõe vem em contrapartida à lógica inconsequente de extração e consumo, fazendo com que tudo aquilo que extraímos, volte transformado para o ciclo. O destino final desse material deixa de ser o gerenciamento de resíduo e acúmulo de 'lixo' para se transformar em novos produtos, pois os valores dos recursos produzidos são mantidos através de cadeias produtivas de novos bens”, complementa Solange.


Educação e Impacto Social


Toda essa proposta de ressignificar e transformar se inicia na mudança de consciência, na adoção de novas metodologias e em um processo de aprendizado – inclusivo, de qualidade e empreendedor.


É o que acredita e defende Camila Weinrich Ono, que atua profissionalmente na área de Empreendedorismo e Inovação em projetos educacionais.


Ela sintetiza que tudo parte da ação dos verbos “conscientizar e sensibilizar”. Isso significa englobar um processo educativo de construir valores; envolve formar redes de troca e de colaboração e, principalmente, ser exemplo. Só então será possível agregar um verdadeiro Impacto Social na vida das pessoas e de toda a sociedade.


E como sair da teoria e partir para a ação?


Realmente muita coisa precisa ser feita, pois, tudo faz parte da Economia Circular, como enumera Camila: “a redução; o não desperdício; o planejamento e uso dos recursos; o processo de produção; o modo de consumo dos produtos e serviços, etc.”.


Assim, a estratégia é priorizar as ações:


“Comece definindo o ‘por quê’, a finalidade das suas ações, e, então, aja para entregar valor. Encontrando seu propósito e sua tribo. Trazendo esses conceitos e implementando as inovações aos poucos, porém sucessivamente. Cada um usando sua expertise, sua paixão”. Quando se perceber o impacto social foi gerado.


Dani Gábriél contribui com o processo de aprendizado indicando a prática de benchmarking. Isso significa conhecer e replicar práticas de gestão estratégicas e sustentáveis que são positivas em outros modelos e sistemas de negócios, independentes da área.


Além disso, entender todo esse ambiente como um “processo de experimentação, onde estamos constantemente aprendendo. Por isso, é importante se espelhar em bons exemplos e construir redes de apoio de conhecimentos e pessoas”, finaliza Dani.

E como essas três protagonistas se conectam?


O mundo do empreendedorismo e aprimoramento profissional promoveu esse encontro. Cada uma em diferente função, com objetivos e necessidades plurais.


Até chegar ao “Du,Me Desafia” - um programa da DUME que integra análise empresarial e criação e desenvolvimento de marca, produtos e serviços.


Tem um post perfeito no Instagram da DUME contando toda a experiência da Umbrella Cycling com esse projeto, que envolveu a criação de “um mix de produtos, considerando a coordenação de itens, fortalecendo a marca com linhas de produto mais consistentes e, além disso, criar um apelo de moda com o objetivo de alavancar o potencial de vendas da marca”.


“Posso dizer que mudou a minha visão de designer de moda. Cada peça produzida era uma comemoração. E fica a motivação para que participem desse projeto quem tiver oportunidade. Somou muito para identidade da marca e negócio”, conta a Solange.


E esse trio inspirador se reencontrou no “Du,Me Conecta” 2021 para a conversa que deu vida a esse texto. Um projeto que reúne empreendedores e outros profissionais especialistas em diversas áreas para conversas sobre economia criativa, novos negócios e muito mais.


----------------------


O que aprendemos com esse artigo da DUME?

· O que é Economia Circular.

· O que significa Upcycling.

· O que o Desenvolvimento Sustentável engloba.

· Como causar Impacto Social.


E esses conceitos estão presentes e constantemente aprimorados na DUME. Então, vamos nos conectar e fortalecer esse compromisso de impactar positivamente o seu negócio e o mundo?!


Vem descobrir o que a DUME pode fazer por você!


#dume #dumeconecta2021 #economiacircular #desenvolvimentosustentavel #empreendedorismoeinovação #economiacriativa#sustentabilidadecriativa #educaçãoempreendedora #diversidadeeinclusão #designparamudança


Bianca Piquet


34 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo