Humanize-se: Qual valor você gera para o mundo?


Ter um feed com layout bonito não é mais a prioridade dos consumidores que estão se formando dentro deste período de crise. Se a sua marca não se comunica como parceiro de seu cliente e não desenvolve serviços que agregam valor, está na hora de rever a estratégia.

Du, Me Ajuda… o que exatamente é a proposta de valor?


É o elemento que dá ênfase nos pontos de solução dos problemas do seu cliente. Quando você comunica claramente como o seu serviço ou produto vai ajudá-lo a solucionar um perrengue, fica possível criar uma conexão quase instantânea.


Imagine que uma empresa de calçados veganos descreve, dessa forma, a sua proposta de valor na bio do instagram:


"Oferecemos sapatos de qualidade, respeitando o meio ambiente."


Apesar da marca realmente oferecer um produto em prol do meio ambiente, o texto ainda é redundante e não dá pistas de como efetivamente a empresa se importa com a prioridade do cliente, nem mesmo oferece formas de solucionar suas dores. Dizer que um produto é bom ou de qualidade, ficou para trás. A base de qualquer negócio é ser bom no que faz, né?


Bio adaptada a real proposta de valor:


"🌱 Calce Uma Causa. ♻️ ecológico⁣⁣⁣⁣, 👫 unissex⁣⁣⁣⁣, 🐮 vegano ⁣⁣⁣⁣"


Tudo muda, né? Além do cliente calçar um sapato, ele calça uma CAUSA. Isso trás uma sensação tão gostosa de pertencimento e alinhamento de propósito pessoal. A comunidade vegana vem realizando intensas discussões sobre a queda do consumo impulsionado por individualismos e de como sua escolha política é uma redução de danos para o mundo. É claro que as marcas que se alinham a "missão" da buyer persona e ainda oferecem produtos com matéria-prima responsável e bem estruturados, vão se destacar. Mas isso é papo para concepção de produto…


O case "Calce uma Causa" é da @insectashoes. Vale a pena olhar.


Desumanizar-se para Humanizar:


Poético? Nem tanto rs Felizmente estamos rompendo práticas de desumanização de marcas. Aquela publicidade agressiva, estruturada em mecanismos que promovem a execução de tarefas de forma alienada, está aos poucos ficando para trás. Foi dentro de casa que o consumidor percebeu que havia banalizado sua humanidade, o abraço, o contato físico, o olho no olho. Esse é um cenário oportuno para novos negócios, pois estamos ultra conectados e com mais "tempo de sobra" para rolar o feed, pesquisar e se conectar com novas idéias.



Para inspirar os seus projetos:


Economia Compartilhada já é uma realidade:


Rachar uma viagem de Uber, viajar com alguém por Blá-Blá-Car, alugar um apê no AirBnb, assinar Spotify família (garantindo que todos os envolvidos paguem suas metades mensalmente rs) e pedir comida no Ifood, são só alguns exemplos de como a economia compartilhada vem dando muito certo.


Este termo é designado para o movimento humano baseado em interesses em comum, adaptado às novas práticas de consumo. Se eu estou de carro, preciso ir à São Paulo e você também, porque não "unir o útil ao agradável" e dividirmos os custos da viagem por meio do Blá-Blá-Car? As duas partes são beneficiadas, otimizando tempo (de quem quer se locomover com mais tranquilidade e rapidez, mas não tem carro), reduzindo custos (de quem tem carro, mas não quer pagar toda a despesa da viagem), gerando mais flexibilidade e menos impactos ambientais.


Mas isso não é tudo, percebendo a oportunidade dos interesses mútuos, muitas empresas criaram serviços altamente eficientes para garantir que o resultado final garanta a qualidade nas trocas e relações humanas. Os sistemas de classificação presentes, por exemplo, no iFood te ajudam a saber quais são os melhores restaurantes da sua região e o que as pessoas falaram sobre ele. A classificação que você dá para um motorista de aplicativo, ajuda outras pessoas a viajarem com maior conforto. A proposta é garantir experiências mais seguras e criar uma rede fortalecida de indivíduos que compartilham interesses e claro: confiança!


Observar, tomar nota, planejar e agir:


É quase seu mantra, empreendedor rs. Apesar das mudanças nos causarem momentos de confusões e incertezas, estamos caminhando para um mundo com relações mais justas e modos de trabalho libertários. Reúna sua equipe para conversar sobre os pilares que movem sua marca e como ela tem sido percebida pelo cliente.


Na nossa aba de Downloads, você encontra materiais gratuitos para turbinar o planejamento do seu trabalho e comunicação de seus negócios.


Um abraço,


Dume

Texto por: @mdemarcela

Revisão: @danigabrieloficial


0 visualização